sexta-feira, 4 de março de 2011

Perdido no tempo

Quando esta calada
A minha razão se perde
Quando você não olha
Me lembra uma derrota

Eu lembro do que é para ser esquecido
Sou apenas um desconhecido
Um desconhecido perdido
Vou te tendo como sentido

Não precisa ter medo
Minha alma quer sussego
Não é minha opção você como meu desejo
Minha garganta sufoca diante do seu jeito

Calada, me lembro desse medo
Essa é a razão do desconhecido
Olhar perdido, sem opção do destino
A derrota que sinto é seu jeito longe de mim, desse desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário