segunda-feira, 26 de julho de 2010

Distante de mim

Silêncio, enquanto eu corro só percebo o silêncio. O silêncio humano denuncia sua decadência. Isso me ensurdece, o homem se cala e seus restos trabalham e vibram, tem pressa no caminho e o deixa pra traz. Pesam em seus problemas que parece multiplicar . Não vêem necessidades em conhecer o que há depois das calçadas. Talvez eu não complete meu caminho, mas não deixarei restos humanos me calarem. A minha trilha é única, quem me seguir considerarei digno e merecedor de ser meu amigo. Tudo me serve como combustível e não penso em parar, mas sempre que olho seu jeito de menina o tempo para. Eu só queria sentir isso a cada segundo da minha vida, mas quando o tempo volta a contar, já estamos longe demais.

Essa foi dedicada para Thaynara. Obrigado por fazer dos meus sabados os melhores da minha vida! Não ha nenhuma igual.

2 comentários:

  1. agora tay vai passar TRINTA anos falando disso. hhahah.. mais ficou muito bom.

    ResponderExcluir
  2. kkkk nem lembra, Luiz vai me dar um Round Kick

    ResponderExcluir