sábado, 23 de julho de 2016

Não sei

Eu queria, por muito tempo
Ter a oportunidade que tive noite a dentro
Escorados nas grades frias
Ignoramos os desacompanhados que estavam naquela via

No meio de lapsos que posso lembrar
Um cenário comum na rotina de quem passa
Um cenário inesperado para mim
Contei cada palavra

Não vou me iludir imaginando um sorriso de paixão
Mas era de uma atração movida a álcool, curiosidade ou desejo?
Não deixei a oportunidade me passar em vão
Pedia mais um beijo

Poderia exaltar o seu cheiro
Ou seus lindos cabelos cacheados
Idolatrar seu corpo e dizer o quanto o queria nu
Assim, vulgar seria diante do que realmente tenho lembrado

Foi um sorriso que me acertou
A forma que se entregou
Que saiu do "não se iluda"
E na imaginação se pintou

Se pintou de poucas cores
Com tons de novos sabores
Você também sentiu
Mas esse livro, já devolveu?








Nenhum comentário:

Postar um comentário