sexta-feira, 6 de abril de 2012

Sem cá, nem lá



Quem merece esse céu ?

Quem merece essa chuva?

Quem merece esse mundo?

A quem se deve desculpa?


Não enxergo o certo,

Nem muito menos o errado

Eu sei só do que aconteceu

Mas não posso julgar o culpado


Um sorriso falso de um lado

O outro corresponde apaixonado

Tantos fatos inacabados

Que só nas estrelas ha de ser contados


Não matemático pra tal cálculo

Mas encontro a solução na alquimia

Pode não ser dito no veredito

Leitor, não importa o que aconteça, sorria...

Um comentário: