domingo, 21 de novembro de 2010

Tentativas sem forma

Na primeira dobra
Espaços sem dificuldade
Na segunda dobra
Penso no formato
Na terceira dobra
É inconsciente, tudo segue em ordem
Na quarta dobra
Eu já esqueci das outras manobras
Na quinta dobra
O desespero me segue, o papel não me lembra nada
Na sexta dobra
Eu descubro que poderia ter tomado outra decisão
Na sétima dobra
Nada pode se fazer, todas as partes tem cicatrizes
Na oitava dobra
As atitudes acabam diante de tantas articulações

Na nona dobra
É a esperança que me falta
Na décima
A mente já desgastada desiste, me deixando triste
Na décima primeira
Eu guardo o papel e parto pra próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário