segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Fatos

No desconhecido depositei a fé

No céu esta meus desejos

Do mais profundo mar, consegui limites

Do horizonte tirei a luz

De mim surge esperança solúvel

Deles soluções fáceis e falsas

De tu o silêncio

De nós, a espera de sentimentos escondidos

Eu vi no seu olhar o que pensa surgir

Se o que vi ainda esta em você, me dê

Não tenho o que esconder

Eu quero você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário